Martha Vasconcellos vence o Miss Universo 1968

Foi no dia 13 de julho de 1968, em Miami Beach, nossa beldade – sob os olhares de um planeta de audiência – foi eleita a mulher mais linda do universo! Martha Vasconcellos, foi a última brasileira a receber essa honraria, depois, batemos na trave algumas vezes. Ela teve vários embates com seu pai, que não queria ter sua filha exposta em um maiô para vários marmanjos babões. Foi uma guerra, mas ela foi e sagrou-se campeã.

Se já não seria fácil carregar durante 50 anos o título de mulher mais bonita do país, que dirá o de mais bonita do mundo. Eleita Miss Universo em 1968, Martha Vasconcellos reconhece o fardo que é ter sido a última brasileira a vencer a disputa. Hoje, com 73 anos, cabelos brancos assumidos e uma elegância aristocrática, ela diz que ainda se sente constrangida.

Com a coroa na cabeça e um país ao seus pés — Salvador, sua cidade natal, parou para recebê-la na época —, Martha continuou a vida. Com casamento marcado, ela recusou um teste num poderoso estúdio de Hollywood. E foi seguir sua verdadeira vocação: ser independente: “Comecei a trabalhar aos 12 anos dando aulas de reforço escolar. Foi depois que meu pai se recusou a me dar dinheiro para comprar um presente para o meu namorado, que depois viraria meu primeiro marido e pai dos meus dois filhos”.

Marta Vasconcellos e sua reação ao saber da vitória
Marta chega ao solo brasileiro em 1968 com o troféu Miss Universo

Em 1968, Martha Vasconcellos conquistou a segunda coroa da história do concurso para o Brasil. Ao todo, foram 65 participantes àquele ano. À época com 20 anos de idade e natural de Salvador, a candidata chegou a levar um cabeleireiro diretamente da Bahia para ajudá-la no concurso. Antes, já havia se sagrado Miss Bahia e Miss Brasil. A brasileira foi a 2ª colocada na etapa com roupas de banho do concurso, vencida pela Miss Estados Unidos, Didi Anstett, chegando à derradeira noite com boas chances. O desfile de trajes típicos foi vencido pela Miss Colômbia, Luz Elena Restrepo. O ‘título’ de Miss Fotogênica, dado por fotógrafos, ficou com a Miss Iugoslávia, Dalibirka Stojsic. A noite contou também com alguns acidentes. Lucienne Kier, Miss Luxemburgo que tinha 18 anos à época, teve um sangramento no nariz e precisou desfilar com algodão. Já a Miss Malta, 22, desmaiou no palco e só voltou após alguém abaná-la com um jornal. Pouco depois da meia-noite (horário de Brasília) do domingo, 14 de julho de 1968, Martha Vasconcellos se viu diante de Anne Marie Braafheid, a Miss Curaçao, jovem negra da cidade de Willemstad, como uma das finalistas. “O mestre de cerimônias tentara aumentar a tensão em torno do nome da vencedora, mas a Miss Curaçao começou a rir e apontou a Miss Brasil como a vencedora. Um pouco desconcertado, o apresentador não teve outro remédio senão proclamar Martha a vencedora”, informou o Estado na ocasião. Questionada sobre o que pensava do título, respondeu, emocionada: “Não posso falar”. Martha Vasconcellos recebeu um prêmio de 10 mil dólares (equivalente a 32 mil cruzeiros novos na época), um contrato de publicidade de 10 mil dólares e um casaco feito com pele de chichila, avaliado em 7,5 mil dólares, além de outros prêmios menores. Apesar da euforia, ela só conseguiu contato com seus pais e familiares horas depois, por telegrama: “Tentei muitas vezes por telefone, mas as telefonistas do hotel respondiam sempre: ‘impossível’. Por favor, compreendam que me sinto muito só. Esta é a primeira vez que me separo da minha família”. À época, a escolha trouxe críticas de jornais de Hong Kong e da Venezuela, que consideraram que a eleição de Martha Vasconcellos, uma brasileira, teria ocorrido por conta de “razões políticas” 

Um dos momentos antológicos da eleição de Vasconcellos, no Miss Universo, foi quando a baiana, ao tomar conhecimento de sua conquista, arregalou os olhos – que pareciam saltar das órbitas – e ficou com a boca aberta em um gesto de grande surpresa. Com sua coroa, fez muitas viagens. Casou-se com um namorado de infância, teve dois filhos, se formou na universidade e se separou 20 anos depois. Em 2000, decidiu viver nos Estados Unidos, onde fez mestrado na área de educação e contraiu núpcias com um norte-americano. Martha é símbolo da beleza das mulheres do Brasil! Os estados brasileiros festejaram o triunfo da jovem Miss de muitos encantos.

 

<