Quando se pensa na grandiosidade de um filme, seja por sua história, interpretações e músicas, lembramos imediatamente de Perfume de Mulher. O longa metragem não apresenta apenas a melhor atuação de Al Pacino, tem roteiro bem amarrado, sequências inesquecíveis carregadas de dramaticidade – o que exigiu muito dos atores – e um final que agradou em cheio ao público. Nessa fotografia acima, vemos o Coronel reformado Frank Slade – interpretado por Al Pacino – seduzido pela fragrância de uma bela mulher (Gabrielle Anwar). Apesar de sua deficiência visual, Slade chamou a beldade para dançar nada menos que um arrebatador tango de Gardel. O ator recebeu o Oscar pela fantástica atuação neste filme. Perfume de Mulher é um longa incrível, sensível, dramático, surpreendente e repleto de reflexões. Nesta obra cinematográfica, o coronel amargurado começa a rever seus conceitos e sentimentos após o convívio com Charlie Simms (Chris O’Donnell), seu jovem acompanhante, em um final de semana que mudará suas vidas para sempre.

Cena de Perfume de Mulher

Uma das sequências mais memoráveis da sétima arte é a dança de Frank (Pacino) com a perfumada mulher.  Gabrielle Anwar teve de ensaiar sozinha a famosa cena de tango por três semanas. Al Pacino não apareceu no set uma única vez sequer para isso. Depois ela admitiu que, durante a dança, o ator pisou diversas vezes no pé dela e quase quebrou seus dedos. Durante sua preparação para interpretar Frank Slade, Al Pacino recebeu a ajuda de uma escola para cegos. O próprio ator afirmou que buscou realmente “tornar-se cego” durante as filmagens, utilizando o truque de não focar seus olhos em nada que estivesse em cena.

All Paccino é o dono da “bola”. Conduz de forma brilhante seu personagem, provoca ternura, empatia e ira aos espectadores no papel do reformado rabugendo, machista e intolerante Frank Slade. A produção é a refilmagem de um filme italiano de mesmo nome, lançado em 1974, dirigido por Dino Risi e estrelado por Vittorio Gassman. Quem não viu, é uma boa conferir, quem viu e gostou, sempre vale a pena rever!
 
Direção: Martin Brest
Elenco: Al Pacino, Chris O’Donnell, James Rebhorn
Trilha sonora: Compositor Thomas Newman
Nacionalidade: EUA
Lançamento: 1992
<