Paulo Diniz, autor e cantor de uma das canções mais bonitas do nosso cancioneiro, "Pingos de Amor", morre aos 82 anos

Sucesso nos anos 1970 com canções como “Pingos de amor” (regravada pelo Kid Abelha), “Quero voltar para a Bahia”  e “Um chopp pra distrair” (cantada ainda por Emílio Santiago), o cantor e compositor pernambucano Paulo Diniz morreu, aos 82 anos.

O músico natural de Pesqueira (PE) foi destaque da MPB entre as décadas de 1960 e 1980 e também compôs, em parceria com Odibar (1950-2010), os sucessos “Canoeiro”, “Um Chopp pra distrair”, “Ponha um arco-íris na sua moringa” e “Quero Voltar Pra Bahia”. A última, inspirada nas cartas que Caetano Veloso escrevia para o jornal O Pasquim enquanto estava exilado do país, à época do regime militar. Começou a trabalhar com a voz como locutor e ator em rádios de Pernambuco e Fortaleza. Diniz só passou a se dedicar à composição na década de 1960 e lançou o primeiro disco, “O Chorão”, em 1966.

Paulo Diniz cantava com muito soul sua brasilidade

Paulo Lira de Oliveira, nome de batismo de Paulo Diniz, deixou uma filha, duas enteadas e a esposa, Iluminata Rangel, além de três netos e dois bisnetos. Ele nasceu em Pesqueira, no dia 24 de janeiro de 1940.

O artista fez sucesso principalmente nos anos 1970, época em que morava no Rio de Janeiro, e onde compôs e lançou alguns de suas obras mais conhecidas. “Pingos de Amor”, lançada em 1971, chegou a ser regravada por diversos artistas, incluindo Paula Toller, do Kid Abelha, em 2000.

Paulo Diniz tinha 56 anos de carreira. Mudou-se para o Rio de Janeiro nos anos 1960, para trabalhar no rádio. Seu maior sucesso, “Pingos de Amor”, foi composto em parceria com o compositor Odibar, um grande parceiro de sua carreira.

Paulo Diniz em uma de suas últimas apresentações

No século 21 Diniz foi redescoberto por uma nova geração de fãs e artistas. Depois de quase duas décadas longe do estúdio ele lançou o CD “Reviravolta”, que acabou sendo seu derradeiro trabalho, e voltou a fazer shows, ainda que esporádicos, dado o seu estado de saúde.  O cantor e compositor morreu na manhã de hoje (22-06-2022), aos 82 anos, no Recife (PE), de causas naturais.

PESAR

Por meio de nota, o governador Paulo Câmara (PSB) lamentou a morte de Paulo Diniz e disse que “Pernambuco perdeu um grande nome da música popular”.

A vice-governadora Luciana Santos (PCdoB) também manifestou pesar pela morte do cantor:
“Esse pernambucano querido escreveu uma das músicas mais belas e conhecidas do nosso cancioneiro. ‘Pingos de Amor’ atravessa gerações, mas não foi a única composição genial da sua lavra. Daqui, nossa homenagem nessa despedida e um abraço fraterno e solidário a Iluminata, sua esposa, e toda família, amigos e fãs — como eu — deste grande ícone da música brasileira”, escreveu.

A Rádio Na Era do Vinil, que prestigia e admira o trabalho de Diniz, lamenta com pesar a perda que sensibiliza aos amantes dos bons discos e que hoje deixa triste a música brasileira. Nossos sentimentos aos familiares e amigos do querido artista. 

<