Dono de versos icônicos – “Ela deu o rádio e não me disse nada”; “mate o véio, mate o véio!”; “ele tá de olho é na boutique dela!” -, despede-se um dos maiores astros do forró, Genival Lacerda, que morreu aos 89 anos por complicações da Covid-19, na manhã desta quinta (7/01/2021), em Recife. O prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima, decretou luto oficial de três dias pela morte de Lacerda.

Raul Seixas, na canção “Rock ‘n’ Roll” declarou: “não importa o sotaque, e sim o jeito de fazer, pois há muito percebi que Genival Lacerda tem a ver com Elvis e com Jerry Lee” – provavelmente, Seixas tinha em mente o sucesso do paraibano.
 

LP Genival Lacerda

Genival gravou álbuns em larga escala, foram mais de 70 ao longo da vida. Nos anos 1970 e 1980 a vendagem de LPs e compactos foi colossal. O primeiro disco da lenda do forró foi lançado em 1956. O cantor já fazia sucesso no Nordeste, mas a projeção nacional veio com a gravação de ‘Severina Xique-Xique’, em 1975, que vendeu mais de 800 mil cópias. Nascido em Campina Grande, na Paraíba, em 5 de abril de 1931, o artista deixou a sanfona chorosa, o triângulo acabrunhado no canto e o disco está jururu.
LP Genival Lacerda (1983)

Genival Lacerda – “Ela Deu o Rádio”
Composição:  Graça Gois / Namd
<