O lendário músico nos deixou pela madrugada dessa quarta-feira (31), no Hospital Getúlio Vargas, no Rio, aos 78 anos, de pneumonia.

 Lafayette

 Lafayette Coelho Vargas tocou para os Golden Boys, Erasmo Carlos, Wanderléa, Roberto Carlos, Maritza Fabiani, Sérgio Reis e muitos outros artistas brasileiros. Registrou seus acordes em mais de 50 álbuns. Ainda acompanhou Jimmy Cliff e Neil Sedaka quando passaram por aqui fazendo shows. Os arranjos e som inconfundíveis de seu órgão brilharam nos discos mais importantes da Música Jovem dos anos 1960. É dele, por exemplo, o solo de “Quero Que Vá Tudo Pro Inferno”, super hit daquele período. “Quero Ter Você Perto de Mim”, gravado por Fabiani, em 1968, também tem a marca do talentoso músico. Ele foi levado à Gravadora CBS por Erasmo e Roberto, onde fez belíssimos trabalhos nos muitos anos em que ali prestou serviço e gravou seus discos.

Lafayette, vinil Apresenta os Sucessos

Lafa, como era chamado por alguns amigos, era carioca do bairro da Tijuca, o mesmo de Roberto e Erasmo Carlos, Jorge Ben e Tim Maia. Apesar da formação erudita, no final da década de 1950 se tornaria músico de rock. Gravada por Roberto, em 1965, “Quero que Vá Tudo pro Inferno” carrega uma das mais expressivas marcas dos clássicos da Jovem Guarda: o som inesquecível do órgão Hammond tocado por Lafayette Coelho Vargas Limp, instrumentista que ajudou a formatar a sonoridade do iê-iê-iê. Requisitado por outros conhecidos nomes, a exemplo de Jerry Adriani, ele não demorou a fazer sucesso também na carreira solo: gravou quarenta LPs. A festa de arromba dos anos 1960 não teria alcançado o mesmo brilho sem a “perícia” de Lafayette com seus teclados mágicos. Nosso respeito.

Lafayette (disco CBS)
Lafayette,  o Rei dos Bailes


*11 de março de 1943

+31 de março de 2021


<